A AVALIAÇÃO CENTRADA NO INTERESSE DO ALUNO NA CONSTRUÇÃO DE NOVOS CONHECIMENTOS E NA INTERAÇÃO PROFESSOR-APRENDIZ




RODRIGUES, Zita Ana Lago ( et al). Desenvolvimento Cognitivo e a Aprendizagem Escolar: o que o professor deve dominar para ensinar bem. Curitiba: Editora Melo, 2010.


 Segundo a autora a avaliação centrada no aluno acaba por constituir uma nova concepção de escola, que encara a aprendizagem como um direito de cidadania e qualifica os processos de reconstrução e criação de novos conhecimentos pelos alunos, professores e por todos os segmentos escolares.
 A formação dos professores e o seu relacionamento com os alunos tem sido largamente discutida, estudada. Pois, nesse sentido, o conhecimento precisa ser significativo, prazeroso, tanto ao professor como também ao aluno.
Para que isso possa ser possível é importante que o professor se organize e ordene seus objetivos de ensino levando em conta o interesse e a realidade do aluno, para que assim, o conhecimento seja construído em sua integralidade, observando os contextos permeadores por valores e significados ético-morais.
Desse modo, a avaliação centrada no interesse do aluno exige uma compreensão ampliada do conjunto de relação sociocultural as qual a educação faz parte, não se pode mais educar e avaliar com premissas e valores do passado sendo que os alunos já vivem no futuro.
Conforme o texto trazido pela autora, há uma transformação de paradigmas quanto aos modelos de transmissão de conhecimento, o que antes era tido como um fazer ativo do professor e o aluno como apenas um receptor passivo, não existe mais. Pois, os bons professores são aqueles que planificam e estrutura os processos, define as estratégias de ensino, apresenta as metodologias de ação e delineia os caminhos, sempre centrado no interesse do aluno.
Ensinar exige do professor muito mais do que a transmissão de conhecimento, pois o bom professor tem que visualizar além, necessita provocar a curiosidade em seus alunos, ou seja, instigá-los a desenvolver seu conhecimento e, principalmente, provocar mudanças de mentalidades, de atitudes e comportamentos.


AUTOAVALIAÇÃO.

            Fazendo uma analise do conhecimento adquirido do Módulo - Avaliação educacional - entendo que o papel do professor vai muito mais além do que um mediador de conhecimento. O professor carrega consigo um importante papel social, na formação de cidadãos conscientes e capazes de modificar o seu meio.
            A avaliação educacional funciona aqui como um meio de aferição de aprendizagem. Contudo, um ato integrador no qual se leva em consideração todas as experiências de vida e, de forma inclusiva, da suporte as mudanças, quando necessário.
            Portanto, para mim a avaliação não pode ser um processo no qual se julga o aluno como certo ou errado, mas sim, como um instrumento capaz de avaliar o processo ensino-aprendizagem como um todo, onde o método do professor, também, consiga ser avaliado, pois assim, o crescimento no aprendizado possa ser de ambos (professor e aluno).
            Nesse sentido, muito embora eu ainda não seja docente, levarei comigo experiências positivas do módulo e da professora que, de forma simples e segura, conseguiu provocar as mudanças necessárias em meu aprendizado.
             






Postagens mais visitadas deste blog

MODELO DE AÇÃO DE COBRANÇA - Novo CPC